Páginas

20 de ago de 2011

Um Verdadeiro Amor



Quando pequena, eu era muito amiga de um menino de outra sala, ele é um ano mais velho que eu, e é meu amigo. Conversávamos muito, eu batia nele e ele me fazia chorar, (risos). Os anos foram passando e continuamos na mesma escola... Deixei de falar com ele, nos afastamos e nunca mais nos falamos durante um bom tempo! Como todos os anos, fazemos sempre um exposição em agosto, e nesse ano minha sala trabalharia junto da dele. Ele tinha cabelo liso quando criança, mas enrolou, ficou cheio de cachinhos (risos), eu adoro cachos, comecei mexendo no cabelo dele, não me conformava, e assim me reaproximei. Todas as manhãs nos falavamos, na hora do recreio conversávamos. Tínhamos que pintar uma tela,mas não estava afim de desenhar, minhas amigas pediram a ele, mas ele se recusou, então pediram a mim que fosse falar com ele... Fui, então pedi e ele aceitou. Minhas amigas passaram a me zoar, diziam que estávamos apaixonados e eu negava, claro. Fiquei com ele o tempo todo enquanto desenhava, depois pintamos, e o nome dele também foi parar na tela, (risos). Teve um dia na hora do lanche que estava sentado ele, eu, uma amiga e um amigo. Essa minha amiga,gostava desse amigo meu, então eu e o Felipe (nome do meu amor ou ex amor ) saímos do lado deles e fomos sentar em outro banco. Eu estava segurando o UNO, ficava embaralhando ele sem parar, o Lipe deitou no meu ombro, foi até pegar na minha mão, mas disfarçou e pegou o UNO de mim (risos). do refeitório, minhas amigas zoavam a gente, e assim foi. Minha amiga, tinha percebido que eu estava gostando dele e me perguntou, neguei de início, mas ela me conhece e insistiu, acabei confessando. Ela comentou com meu melhor amigo que por acaso é melhor amigo do Lipe, os dois fizeram um esquema e acabamos ficando uma, duas, três, quatro vezes (risos). Outubro chegou, ia ter uma festa no colégio, nos fomos, era dia 8, tal dia em que ele me pediu em namoro. Poxa, aceitei. Ficamos juntos durante 6 meses, eramos felizes, apesar
da distância que nos mantinha longe. Minha escola vai até o ano e o período dele fora cumprido, eu continuei, ele se foi.
Ele vinha me visitar, toda vez que estava na avó dele, ia no colégio de manhã me ver, mas era muito pouco tempo, isso aumentava a saudade, trazia mais desejo de ficarmos juntos.
O tempo passou, aguentamos tudo, eu assumi ele aos meus pais, meu pai gostou dele, ele vinha direto, mas quando foi dia 22 de abril, 3h45 da madrugada, ele decidiu terminar.
Logo que fez isso, se arrependeu, disse que achava que eu estava infeliz pelo fato dele não poder estar perto. Eu disse que não, portanto sofria.
Chorei, me isolei, não comia, cheguei a me cortar e a entrar em depressão... Fiquei mal durante meses, não conseguia me sentir bem de nenhuma forma, porém tinha o Matheus, um menino que desde o momento em que me viu pela primeira vez, começou a me amar.
Ele ficou do meu lado, me deu apoio, força, não me deixava lembrar do que me machucava e eu acabei ficando com ele, não sei se foi por carência ou por estar gostando dele, talvez.
Ficamos durante um tempo, até que ele me pediu em namoro mês passado, aceitei, tive a certeza que gosto dele, mas ainda não esqueci meu ex.
Hoje namoramos, mas não estou feliz como costumava ser, é como se algo faltasse em mim, é como se nada que eu vivesse agora fosse real.
Minha felicidade se foi quando meu ex se foi, ele me tirou o direito de ser feliz, tenho ódio por isso. Terminou comigo enquanto me amava, e me ama ainda, tanto que corre atrás e faz de tudo pra me ter de volta, TUDO mesmo!
Sabe... namorado igual ao Felipe, jamais vou encontrar. Todos os homens costumam ser iguais, mas ele não, ele não se compara a nenhum homem, a nenhum mesmo.
Podem me oferecer o melhor cara do mundo, bonito, ótimo em tudo, mas eu ainda vou continuar preferindo meu ex.
Uma vez amor, sempre amor.
Ele é meu primeiro namorado oficialmente, é meu primeiro amor de verdade e eu não consigo esquecê-lo, não mesmo.
Sei que estou com o Matheus agora; gosto dele, de verdade, mas não da mesma forma... tenho medo de terminar com ele, e perder o que consegui depois de tanto tempo sofrendo. O Matheus é aquele que me refugiou e não quero abrir mão dele, não posso )':


que ao mesmo tempo quero ter tudo aquilo que era mágico de volta, quero me ter de volta, quero ter meu namoro com aliança, aprovação dos pais, quero meu Felipe de volta e a vida que costumava levar.
História contada e vivida por
Agnes Maria

2 comentários:

  1. Ooow Bb hé sempre assim temos dois caminhos, duas escolhas e sempre temos que ariscar-se, abrir mão de alguma coisa... Esculte o seu coração pois ele sabe o que é melhor pra você!
    XeroO no Zôôi liinda...

    ResponderExcluir