Páginas

29 de set de 2011

Simplesmente eu te amo



Por que você me magoa tanto?
Por que você me faz chorar?
Por que?

Só consigo chorar...
Só sinto vontade de chorar...

As cores sumiram e agora está tudo preto e branco.
Não sei se sou eu quem estou vendo tudo em preto e branco, ou se é assim que você me vê.

Não sei quanto tempo vou aguentar...
Não sei quanto tempo vou suportar...

Só sei de uma coisa,
mesmo depois de tudo o que você fez comigo,
Eu te amo!
(Nanda Oly)

28 de set de 2011

Não vou chorar



Sei que é difícil aceitar.
Mas não tenho outra escolha.
Talvez tenha, mas ainda não pensei em nada.
Só consigo pensar no que aconteceu, e na vontade que eu tenho de chorar.

Mas, sei lá, tenho que mostrar que não me afetou em nada o que aconteceu.
Mas a verdade é que estou prestes a desabar.

Pensamentos voam e com eles lágrimas rolam.

Sem perceber ele me matou.
Arrancou minha alma, sem pena e sem dó.
Ele destruiu meu coração e riu. Gargalhou!

E a única coisa que me resta é sorrir;
Sorrir para não chorar.

(Nanda Oly)

21 de set de 2011

VAI DAR TUDO CERTO


Quero sair. Ir para um lugar onde ninguém possa me encontrar, onde eu possa pensar. E não pensar em voltar. Quero esvaziar minha cabeça, deixar cair mil lágrimas, e depois de tudo, sorrir e dizer que tudo que aconteceu comigo, já passou, e nada mais vai mudar... só se eu deixar.

Sorrir de tudo e de todos que me fizeram chorar, que me fizeram sofrer.
Sorrir da vida.
Sorrir dos sorrisos.
Sorrir das lágrimas.
Apenas sorrir.
E ter a certeza de que TUDO VAI DAR CERTO!
(Nanda Oly)

20 de set de 2011

O complicado "mundo dos homens"



Dizem que o "mundo feminino" é complicado. Verdade é complicado. É tão complicado que nós(mulheres) não nos entendemos. Mas nem por isso escondemos, ou deixamos de ter atitude. Já dos homens eu não posso dizer o mesmo, (pelo menos, de alguns).
Conheço muitos meninos extremamente tímidos, e isso de alguma forma me deixa meia "desconcertada".
Alguns meninos são totalmente caras de pau para tudo, mas quando o assunto é AMOR, a história muda totalmente de contexto.
Algumas meninas são muito tímidas, mas para amar, elas deixam a timidez de lado e se entregam. Se entregam tanto que acabam se machucando, ou sendo mais amadas. No meu caso, acabei me machucando.
No começo eu não estava percebendo, então não doeu tanto. Mas quando eu me liguei, a dor foi tão forte, que não aguentei, e a única coisa que eu conseguia fazer era chorar e chorar. Mas como tudo passa, passou. E agora a dor está diminuindo aos poucos, como uma ferida que está cicatrizando.
Uma vez eu pude ter a certeza de que as garotas choram por garotos, e os garotos choram por garotam que realmente significou algo para eles. Isso prova que o "mundo dos homens" são mais complicados do que o nosso. Mas também ao mesmo tempo, muito mais fácil. Não digo que é fácil pelos motivos que todos dão. Digo que é fácil, pelo fato de que os garotos tem a facilidade de se apegar menos ao amor, e por isso eles se machucam menos, e as vezes nem se machucam.

Mas agora fica a pergunta no ar.
Por que vocês(garotos) são tão complicados?

Se você acha que o que eu disse é quase ou totalmente certo, comenta. Se achar que não tem nada a ver, comenta. Quero ver a sua resposta.

A melhor resposta, vai para o próximo post.
(Nanda Oly)

16 de set de 2011

Palavras NÃO ajudam



Todos estão falando...
Não consigo ouvir meus pensamentos...
Me sinto sufocada, com tantas palavras...

Estou em uma piscina de pensamentos e frases, e não estou conseguindo nadar...
Estou me afogando, e não tem ninguém para me salvar...

Quero um abraço e um silêncio...
Onde eu possa chorar, desabafar tudo, sem que alguém me diga:
"Vai ficar tudo bem!"
Porque eu sei que vai ficar tudo bem, mas vai demorar....

As vezes eu quero ser um pássaro, para voar para um lugar longe de tudo e de todos...

As pessoas acham que palavras ajudam.
Agora eu digo:
Não ajudam!
Só fazem com que nos deixe mais pensativos. E as vezes, pensar não é a escolha certa.

Tente se por no lugar daquela pessoa. Você vai ver que muitas vezes o que ela quer ouvir, não são palavras... São olhares, abraços, beijos... Ela quer fugir de tudo que esta acontecendo... Ela quer um ombro amigo, onde ela possa confiar, chorar, sorrir e ver a luz no fim do túnel.

(Nanda Oly)

PS: Estou muito feliz, da Bibi ter voltado, e me perdoado!
Te Amo Amiga!

13 de set de 2011

por bibisantosperversa.

voltei, agora para ficar! Nanda fico feliz por você ... Eu eternamente estarei ao seu lado minha best, pode ter certeza bom hoje eu só vim avisar que estou de volta e que amanha com certeza terá uma postagem nova, irei contar sobre um assunto muito constante na vida de todos, um beijo até s2

Achei o problema



A culpa se sermos quem somos, é toda nossa.

E temos como resolver isso:
A tristeza conseguimos resolver, colocando as músicas que escutamos quando estamos alegres.
A decepção conseguimos resolver, fazendo de conta que nada aconteceu.
A falsidade conseguimos resolver, não sendo como quem nos traiu.
A maldade conseguimos resolver, pedindo a Deus, "Nos livrai de todo o mal[...]"
A dor conseguimos resolver, chorando.
O choro conseguimos resolver, sorrindo.

Nada pode nos derrotar.
Nada pode nos vencer.
Nada pode nos entristecer.
Nada pode nos fazer desistir.

Nunca olhe para atrás,
Siga o seu caminho sempre de cabeça erguida.
O que passou passou.

(Nanda Oly)

11 de set de 2011

Cortes para o amor (parte 2)

Eu - Sim

O sinal bateu, e fomos para a sala. Na saída fui correndo para casa me arrumar. Para a minha surpresa minha mãe estava bêbada e com o olho roxo. Eu preocupada, perguntei o que tinha acontecido e ela me respondeu:

Mãe - Vai tomar conta da sua vida!

Eu - Mãe quem fez isso com você?

Mãe - Não me chame de mãe. Eu não sou sua mãe. Eu nem te conheço.

Eu peguei ela e coloquei de baixo do chuveiro. Dei um remédio a ela, e coloquei no quarto, pra descansar um pouco. Fiquei pensando e quando olhei no relógio, já estava perto da hora de nos encontrarmos. Fui correndo me arrumar. Normalmente depois de presenciar minha mãe bêbada, eu me cortaria. Mas desta vez eu nem olhei para a gilete. Quando estava pronta, recebi o telefonema dele.

Eu - Oi! Eu já estou quase pronta...(ele me interrompe)

Ele - Desculpa, mas não vai dar para eu ir. Vou buscar minha namorada no aeroporto.

Eu não falei mais nada, e desliguei o telefone. E fui dormir.
Na manhã seguinte ele aparece na minha porta, e pergunta:

Ele - Por que você não foi?

Eu - Recebi seu telefonema, você disse que foi buscar sua namorada no aeroporto.

Ele - Que? Como assim? Que namorada?

Eu - Você quem deveria saber...

Ele - Eu não tenho namorada nenhuma!

Eu - ...

Ele - Eu juro!
Acredita em mim?!

Eu - Eu... Acredito...

Ele - Então... Posso te pegar as 7h?

Eu - (com um meio sorriso no rosto) Sim!

Ele me leva pra escola. E quando eu estava pegando meu livro no armário, um dos jogadores joga um suco de maracujá no meu rosto, e diz:

O Jogador - Suco de maracujá para acalmar os nervos, Esquisita!

[Esquisita é como me chamam na escola. E tenho certeza que não é um apelido carinhoso.]
A escola inteira me viu, levando suco de maracujá no rosto. E para completar o meu dia, na hora do recreio uma Líder de torcida, me diz:

Ela - Você acha mesmo que ele gosta de você?
Ele e os garotos fizeram uma aposta.

Eu - Que aposta?

Ela - Disseram que ele não conseguiria sair com você. E ele aceitou o desafio. Quando a noite terminar, ele vai ganhar a aposta. E vai fingir que não te conhece, como sempre fez.

Eu fique triste e com muito raiva. Ele me enganou esse tempo todo. Ele me fez de boba.
A noite ele aparece na minha casa e toca a campainha. Eu não atendi. Ele viu que tinha alguém em casa. Ele chamou, chamou e nada de eu atender.
Na escola, ele perguntou:

Ele - Eu sei que você estava em casa. Por que você não atendeu?

Eu - Foi bom perder a aposta?

Ele - Como você sabe da aposta?

Eu - Por que você fez isso?
Por que você gosta de fazer as pessoas sofrerem?

Ele - Antes era por causa da aposta. Mas depois eu percebi que gosto de você de verdade!

Eu - Se você gostasse de mim de verdade, teria me dito antes.

Ele - E você iria entender?

Eu - Talvez não. Mas pelo menos eu saberia da sua boca, e não da boca dos outros.

Fui para a casa. E não consegui fazer nada. Não consegui pensar em nada.

CONTINUA


PS: Estou muito triste pela saída da Bibi do blog.

(Nanda Oly)

7 de set de 2011

por bibisantosperversa.



DESPEDIDA!

Bom, eu estou saindo do blog, espero que vocês tenham gostado das minhas pastagens!
Estou saindo pois não tem como eu continuar aqui por alguns motivos que não irei citar , espero que vocês continue lendo os post's dos outros membros do blog! Obrigado a todos.

'' Eu quero que as pessoas gostem de mim pelo que eu sou. Eu sou certa e errada. Cheia de imperfeições incorrigíveis. ''

6 de set de 2011

Que sentimento é esse?




As vezes sentimos coisas que não sabemos definir. Isso nós da a impressão de que está acontecendo algo de errado, quando na verdade o errado é que estamos pensando de mais. Devemos parar para olhar o que realmente importa. Quando os sentimentos estão confusos, devemos procurar algo para nos fazer esquecer, algo para nos fazer feliz, ou algo que nos faça lembrar de tudo que passamos. Tudo de bom que passamos.

Devemos observar.
Cada detalhe mal notado.
Cada flash não dado.
Cada segundo esperado.
Cada sorriso mostrado.
São os mínimos detalhes que nos fazem feliz.

Por exemplo:
Uma simples roda de amigos.
Um simples abraço.
Um simples beijo.
Um simples toque.
Todo simples detalhe parecendo não ter tanta importância, são jogados fora, e acaba nos sobrando só as tristezas do dia... as tristezas da vida!

(Nanda Oly)

3 de set de 2011

Cortes para o amor



Prometo que hoje será a ultima vez... Eu prometo...
Não adianta eu me prometer. De tanto prometer para mim mesma, acabo fraquejando.
Na escola não falo com ninguém, porque tenho medo que descubram. Tenho medo de que me julguem... Não preciso ser julgada por mais ninguém...
Uma vez na escola, um garoto veio falar comigo. Eu tentei fugir, mas ele segurou no meu braço, e eu gritei "Ai!". Ele levantou a manga da minha blusa, e viu que eu estava toda cortada. Ele perguntou o que tinha acontecido, não quis responder, e fui embora. No dia seguinte, ele me fez a mesma pergunta:

Ele - O que aconteceu com você? Por que você esta com esses cortes? Quem fez isso com você?

Não respondi nada, apenas olhei nos olhos dele, e fui embora novamente. Quando cheguei em casa, peguei a gilete, fui correndo para o banheiro, me tranquei lá, e comecei a me cortar.
Na manhã seguinte, na escola, aquele mesmo garoto me diz:

Ele - Enquanto você não me responder, eu não vou parar de perguntar.

Eu - Me deixa em paz!

Ele - Me responde que eu te deixo em paz!

Eu - Foi eu quem fez isso! Pronto, falei! Agora me deixa em paz!

Ele ficou paralisado, e não disse nada. Eu fui embora mais uma vez.
Em casa, fiz a mesma coisa que faço sempre. Peguei a gilete, fui para o banheiro e me cortei. Mas desta vez, depois de fazer aquilo, ao invés de chorar, eu pensei. Pensei no garoto. Não sei porque pensei nele. Mas simplesmente pensei.
Ainda naquela noite recebi um telefonema. A voz não me era estranha. A unica coisa que disseram foi:

A voz - Me encontra em frente a escola.

Depois desligou. Fiquei com receio, mas atendi ao pedido.
Ao chegar lá, quem eu encontro? O garoto! Logo que o vi, senti vontade de correr pra longe dali. Mas não consegui. É como se estivesse presa.

Ele - Ainda bem que você veio!

Eu - O que você quer?

Ele - venha comigo.

Eu o segui. Ele me levou para a sala de projeções da escola. Quando chegamos, estava passando um vídeo.

"Comecei a me mutilar quando minha mãe morreu. Não soube como lidar com a dor, e comecei a me ferir. Eu não queria fazer isso, mas era como se alguém tivesse me obrigando... No começo eu fazia só para esquecer do mundo, mas com o tempo, foi virando um vicio. Toda vez que chegava em casa, ou estava sozinha, eu arranjava alguma coisa para me cortar. Eu sabia que isso não me fazia bem, mas não consegui mais me controlar. Uma vez resolvi contar pra alguém. Contei para a cozinheira da minha escola, ela me ajudou, com esse problema. Agora estou me recuperando, faz um ano e meio que não me corto mais. Ainda tenho as marcas, e as vezes tenho sinto vontade de fraquejar, mas ai eu lembro de tudo que passei, e mudo de ideia.
Quero dizer a todos que tem a doença da Automutilação, que procure ajuda. Essa é a melhor escolha a ser feita!"

Fiquei impressionada com o vídeo. Mais ainda por que foi o garoto que me mostrou.

Eu - O que você esta querendo me dizer com esse vídeo? Eu não tenho essa doença.
Você disse que ia me deixar em paz...

Ele - Eu estou tentando, mas você não esta querendo que eu te deixe em paz.

Eu - como assim?

Ele - Você vai ficar em paz se aceitar a minha ajuda!

Eu - Só quem tem um problema que precisa de ajuda.

Vou embora sem olhar para trás.
Chegando em casa, eu vou para meu quarto, pego a gilete, vou para o banheiro... E lembro de tudo o que ele fez... E solto a gilete. Fui dormir.
Na manhã seguinte, o garoto me diz:
Ele - Parabéns! Estou orgulhoso de você!

Eu - Do que você está falando?

Ele - Você não se cortou.

Eu - Como você sabe que eu não me cortei?

Ele - Eu infelizmente conheço cada corte seu, e não vi nenhum corte novo hoje.

Eu - Mas como você viu se eu estou com blusa de manga?

Ele - Toda manhã as 7:30 você lava o rosto, escova os dentes, e observa os cortes.

Eu - Você me espiona toda manhã?

Ele - Comecei a fazer isso, depois que descobri que você...
(Segura em meu braço, levanta a manda da minha blusa)
... Faz isso.

Eu olhei para ele, e fiquei quieta. Ele abaixa a manda da blusa e vai embora. Depois da aula ele me oferece uma carona até a minha casa. Eu aceito. Chegando em casa ele diz:

Ele - Você vai a festa da primavera?

Eu - Não.

Ele - Por que não?

Eu - Pelo mesmo motivo que você vai.

Ele - Eu vou pela diversão.

Eu - Por isso não vou. Toda festa eles arrumam alguém que faça eles se divertirem.

Ele - Se você não for eu também não vou.

Eu - Eu não vou!

E entro. Anoite ouço uma musica, e vou até a varanda para saber de onde está vindo. Advinha quem é? Aquele garoto não me deixa em paz!

Eu - O que você está fazendo aqui?

Ele - A mesma coisa que você.

Sem saber o que fazer, falo para ele entrar. Quando ele entra, minha mãe finge que nem vê. Acho que estava bêbada. Fomos para o meu quarto. Eu estava escrevendo.

Ele - Não sabia que você escrevia...
"O sol fica no céu.
Os peixes no mar.
Você no meu coração,
Porque sempre vou te amar."

Eu - Eu não sabia que você era espião!

Ele sorrir.

Eu - Por que você esta querendo me ajudar?

Ele - Pensei que você tinha dito que só os doentes precisam de ajudar.

Eu - Estou falando sério.

Ele - Quando falei com você pela primeira vez, eu iria te chamar para sair. Só que quando segurei em seu braço, você disse "Ai! " e fiquei curioso para saber o por que. Você não quis me dizer, foi ai que comecei a te vigiar toda manhã... Quis te ajudar, mas não só por ajudar, mas também para te conhecer melhor.

Eu - Você ia me chamar para sair?

Ele - Sim.

Eu - Mas por que eu?

Ele - Gostei de você. Você me conquistou com seu jeito misterioso.
Tenho te observado desde a primeira aula de inglês.

Eu - Eu nunca tinha te reparado.

Ele sorri. O celular dele toca, ele atende e diz:

Ele - Desculpa, tenho que ir agora. (Com cara de preocupado)

Eu - Aconteceu alguma coisa?

Ele - Meu cachorro foi atropelado.

Eu - Posso ir com você?

Ele - Claro!

Fomos para a casa dele. Chegando lá a irmã mais nova dele, chora incontrolavelmente.
Eu sem saber o que fazer e o que dizer, fico quieta só observando.
O cachorro praticamente era da família, pois todos estavam chorando. Ouvi o médico-veterinário dizer que o cachorro só tinha sofrido uma batida e que passava bem. Todos ficam aliviados.
A alegria foi tanta que nem me notaram ali. Normal, ninguém nunca me nota.
Eu fiquei do lado de fora esperando o garoto. Quando ele percebeu que eu não estava lá. Foi para fora e me viu encostada no carro. Ele disse para eu entrar, mas eu achei melhor não. Só tinha ido por causa dele, mas não sabia que a família era tão ligada ao cão. Ele me levou até a minha casa, me deu um beijo no rosto e disse boa noite.

Na escola, no recreio ele senta do meu lado.

Ele - Quer sair comigo?

Eu - ...

Continua

(Nanda Oly)

2 de set de 2011

Para as garotas



segundas-intencoes:
Se você é uma garota e está lendo isso, preste atenção. Ei, você é linda! Nunca deixe que ninguém nesse mundo te deixe pra baixo, te fale coisas somente pra te fazer chorar. Seja forte, pode ser difícil mais não é impossível. Não existem garotas feias, existem belezas diferentes. Se você acha feia, gorda, baixa, cheia de espinha, magra demais, alta demais e essas coisas aí. Saiba que isso faz de você única, ninguém nesse mundo pode ser igual a você, nem que queira. Você é perfeita aos olhos de alguém que te ama demais, não fique por aí dissendo coisas sobre você que não são verdade. E eu repito: você é linda! Aprenda a ser feliz com quem e como você é. Não mude só pra agradar alguém, porque por mais que você faça tudo direitinho e seja “perfeita” sempre haverá alguém para te criticar. Esqueça o cabelo perfeito, o corpo perfeito… Isso não existe. Esse é um padrão de beleza que a sociedade define como perfeito, o padrão de pessoas que não são nada daquilo que você pensa que são. Não se esqueça que você é especial, tem o seu valor, você é insubistituível. Ninguém nesse mundo é perfeito, na verdade, ninguém nesse mundo está perto disso!Você é a coisa mais linda de Deus, cada detalhe do seu corpo, sua personalidade, cada marca, cada detalhe de você foi muito bem pensado por alguém que te acha perfeita. Não importa se você é gorda, magra, baixa, alta, popular, nerd, negra ou branca. Você é única! Por favor, nunca se esqueça disso.
De: Príncipe Desencantado Para: Todas as garotas do mundo.
Fonte:
http://lorennacostas2.tumblr.com/

1 de set de 2011

Tão perto, e ao mesmo tempo tão longe


A tristeza virou minha colega, pois toda vez que me apaixono antes mesmo de começar eu choro...
Choro de saber que ele não me quer.
Choro de saber que eu o quero.
Choro simplesmente por chorar...

Descobri que a pessoa que eu amo, gosta de mim. Não tanto o quanto eu gosto dele, mas de algum jeito ele gosta de mim também. Isso é bom!

Mas e quando eu não sabia disso?!
Sofri muito...
Sofri por não saber o que fazer.
Sofri por medo de fazer algo.
Sofri por ele...

(Nanda Oly)